domingo, 10 de fevereiro de 2008

DEUS É AMOR


Olá irmãos em Cristo! A Paz!

Neste período de quaresma, estamos vivendo um intenso momento de conversão em nossas vidas, é um momento propício para se praticar a caridade, praticar o amor ao próximo. Amor este que vem de Deus. Mas onde está o amor no mundo de hoje? O Que significa amar o próximo? Esta pratica de caridade é um dos pedidos do Papa Bento XVI para esta quaresma.

Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele (1Jo 4,16)

Buscando esclarecer melhor o que seria este amor, encontrei um texto escrito pelo Pe. Reinaldo, da Comunidade Canção Nova, que nos fala do amor ao próximo, da prática fiel e verdadeira deste amor que se perdeu no mundo de hoje.

Não me basta amar Deus se também o meu próximo não o ama

A nossa vocação é a de ir incendiar o coração dos homens, fazer aquilo que fez o Filho de Deus, Ele que veio trazer o fogo ao mundo para o incendiar com o seu amor. Que outra coisa podemos desejar se não que arda e consuma tudo?

É portanto verdade que eu sou enviado não só para amar Deus mas para fazer com que o amem.

Não me basta amar Deus se também o meu próximo não o ama. Devo amar o meu próximo como imagem de Deus e objeto do seu amor, e fazer de tudo para que, por sua vez, os homens amem o seu Criador que os reconhece e considera como seus irmãos e que os salvou; e procurar que, com a caridade recíproca, se amem por amor a Deus, o qual tanto os amou, ao ponto de, por eles, abandonar o seu próprio Filho à morte. Portanto, este é o meu dever.

Ora bem, se é verdade que somos chamados a levar, longe ou perto, o amor de Deus, se devemos incendiar as nações, se a nossa vocação é espalhar este fogo divino em todo o mundo, se assim é, e repito, se assim é, irmãos, quanto devo eu mesmo arder deste fogo divino!

Como daremos aos outros a caridade se ela não existe entre nós? Observemos se existe, não em geral, mas em cada um, se existe no devido grau, porque se não está acesa em nós, se não nos amamos uns aos outros como Jesus Cristo nos amou e se não praticamos ações semelhantes às suas, como poderemos esperar de difundir um tal amor em toda a terra? Não é possivel dar aquilo que não se tem.

O exato dever da caridade consiste em fazer a cada um aquilo que, com razão, queremos que nos seja feito a nós. Faço verdadeiramente ao meu próximo aquilo que desejo dele?

Observemos o Filho de Deus. Não existe ninguém para além de nosso Senhor que tenha sido de tal modo raptado do amor pelas criaturas, ao ponto de deixar o trono de seu Pai, para vir assumir um corpo sujeito a enfermidades.

E porquê? Para estabelecer entre nós, mediante a sua palavra e o seu exemplo, a caridade do próximo. É este o amor que o crucificou e que cumpriu a admirável obra da nossa redenção.

Se tivéssemos um pouco deste amor, permaneceríamos de braços cruzados? Oh! não, a caridade não pode permanecer ociosa, esta impele-nos a procurar a salvação e o alívio dos outros.

Este amor de Deus foi o tema da primeira Carta Encíclica do Papa Bento XVI.

Num mundo em que ao nome de Deus se associa às vezes a vingança ou mesmo o dever do ódio e da violência, esta é uma mensagem de grande atualidade e de significado muito concreto. Por isso, na minha primeira Encíclica, desejo falar do amor com que Deus nos cumula e que deve ser comunicado aos outros por nós.

Veja aqui o conteúdo completo da carta "DEUS CARITAS EST".

Vamos hoje tomar a consciência do verdadeiro amor e vamos colocá-lo em prática mudando alguns hábitos de nossa vida, deixar de falar mal das pessoas, deixar de criticar os outros, saber partilhar o que temos e valorizar a presença de um irmão em nossa vida. Começe nesta quaresma uma mudança em seu coração, converta-s para o amor.

Oração

Oh Salvador, que nos destes a lei de amar o próximo como a nós mesmos, que tão perfeitamente a praticaste em favor dos homens, sejas tu mesmo, Senhor, o teu eterno agradecimento!
Oh Salvador, que afortunado sou por me encontrar num estado de amor pelo próximo! Concede-me a graça de reconhecer a minha fortuna, de amar este estado bem-aventurado e de contribuir para que esta virtude se manifeste agora, amanhã e sempre. Amém

(de S.Vicente de Paulo)

Deus nos Abençoe!
Seu irmão Luiz Alfredo

2 comentários:

Lu disse...

Muito legal sua reflexão, Luiz. São João nos diz "Se alguém disser 'Amor a Deus', mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê." (I Jo 4,20)Precisamos mesmo nos espelhar no Amor de Deus para amar o nosso próximo e eu creio que essa mudança deve começar dentro das nossas casas e nos grupos e movimentos na Igreja. O que chamava a atenção nos primeiros cristãos era justamente o amor que tinham uns pelos outros. A Quaresma é realmente um momento propício para refletirmos sobre o amor.Será que ao olharem para nós as pessoas exclamam "Vede como eles se amam!"?

Gabriel_PHN disse...

Com certeza!!

Para amar à Deus é preciso seguir os mandamentos que Jesus reuniu em um só... "Amai-vos uns aos outros como a ti mesmo"

Quando amamos e respeitamos o próximo, o céu se abre numa imensa festa... porque o amor de Deus é um amor gratuito!!

Agora é também preciso amar a ti mesmo... o amor-próprio, a autoestima são essenciais pra seguir esse mandamento!!

o que adianta eu amar o próximo... aceitá-lo como ele é.. mais não me amar e não me aceitar como sou ( isso é uma pergunta)

Prato revolucionário do dia:

Livro... Gotas de cura interior - Pe. Léo scj.

Buscai as coisas do alto - Pe. Léo scj.

ao som de: Deixe-se amar, Espera no Senhor, porque... Deus vai além